Manifesto | Teu povo te quer de volta, Belém!

[Belém nas mãos do povo]

Intelectuais, artistas, líderes religiosos e de movimentos sociais lançam manifesto em defesa da cidade. Mais do que uma declaração de amor por Belém, é o ato inaugural de um movimento cívico no qual o povo de Belém é o protagonista. “Teu povo te quer de volta, Belém”.
Solicitamos aos amig@s, ampla divulgação deste documento.

Teu povo te quer de volta, Belém!

Ainda te chamam de menina morena, mesmo prestes a te tornares quatrocentona.
Mas há de se perguntar, às vésperas do teu quartocentenário:
Será que tá tudo bem, Belém?
Em tuas ruas, além das sombras das frondosas mangueiras a amenizar o calor, recrudesce, dia e noite, o sombrio abandono das tuas crianças.
Em tua atmosfera, o cheira-cheira do tacacá e o delicioso aroma das tuas frutas concorrem com o lixo que não suportamos cheirar.
Em tuas escolas, onde o presente é de esquecimento, educadores e estudantes te imploram pelo futuro.
Teus filhos e filhas, largados à própria dor, nos corredores e no chão das unidades de saúde, sem remédio para aliviar os males, sem tratamento e atenção, reclamam teu colo de mãe.
Teu povo te quer de volta, Belém!
Teu povo te quer liberta do abandono do maltrato.
Teu povo, amável e hospitaleiro, lutador e insubmisso, te quer de volta!
Belém, Belém, que todas as manhãs acorda a feira na beira do Guajará, eis aqui o teu povo desperto e ávido para saciar os murmúrios de saudades que há muito latejam no peito.
Saudades da nossa Belém cheirosa e formosa.
Saudades da nossa Belém que abraçava e acolhia o seu povo e por este era abraçada e acolhida.
És, Belém, nossa bandeira.
És, Belém, nossa terra, nossa casa, nosso chão.
E é por ti, Belém, que conclamamos o teu povo à luta.
É por ti, Belém, que conclamamos o teu povo a um esforço que não cabe num único segmento da sociedade, ou numa única pessoa, ou num único partido.
E a que luta e esforço nos referimos?
A luta e o esforço para devolver Belém ao seu povo; para devolver o povo à sua cidade; para devolver à Belém e ao seu povo o direito a um presente e a um futuro de justiça e felicidade.
Mas se essa luta e esse esforço não cabem num único segmento social, ou numa única pessoa, ou num único partido, cabem muito menos aos que usurparam as riquezas da nossa cidade e sequestraram a esperança de seu povo.
Essa luta e esse esforço são dos que fazem da busca por justiça e felicidade coletivas, a razão de ser dos eleitos e a única razão ética que justifica os governos.
O governo de Belém a ser eleito para o próximo quadriênio (2013 a 2016) será o governo dos 400 anos.
Façamos valer o dito popular segundo o qual cada povo tem o governo que merece.
E que governo o povo de Belém merece em seus 400 anos?
O que merecemos, e queremos, é um governo que governa com participação e controle social; que cuida de suas crianças e idosos; que preza e pratica a solidariedade; que governa com transparência; que não usurpa, malversa ou dilapida o bem público; que busca obstinadamente a justiça e a felicidade para todos; que mira o futuro sem descuidar-se do presente de seus filhos e filhas, naturais e adotivos.
O povo de Belém quer de volta o direito a um presente e a um futuro dignos. Quer de volta o direito de sonhar, pois já o provou, não faz muito tempo, e não esquece o gosto.
Este manifesto, mais do que uma declaração de amor por Belém, é o ato inaugural de um movimento cívico no qual o povo de Belém é o protagonista.
O segundo, de tantos outros atos que se seguirão, consistirá na realização de um grande seminário, no dia .17/04, às. 14 horas, no Hotel Sagres, que será um espaço reflexivo e propositivo sobre os problemas, soluções e desafios da nossa cidade, em seus 400 anos.
Com fé no que virá, exortamos homens e mulheres, jovens e idosos, trabalhadores, empresários, estudantes, enfim, todos e todas, a aderirem a esse movimento cívico que haverá de devolver Belém ao seu povo.

03 de Abril de 2012

Adilson Alcântara – Músico, cantor e compositor
Adma Lopes – Arquiteta e Urbanista
Alan Kardec Guimarães – Documentarista
Alba Maria – Cantora e compositora
Alice Rodrigues – Arquiteta e professora da Unama
Ana Conceição – Professora UEPA
Ana Helfer – Enfermeira Sanitarista/Epidemiologista
Ana Tancredi – Prof. Doutora; Diretora ICED/UFPa
Celeste Medeiros – Professora UFPa
Celita Maria Paes de Souza – Dra. Educação/UFPA
Charles Alcantara – Pres. SINDIFISCO
Cleoson Oliveira – Presidente do conselho das torcidas organizadas do Remo
Cristina Donza Cancela – Prof. Dra. Historiadora/UFPA
Dalci Cardoso da Silva, cidadão de Belém, psicólogo, trabalhador do Ver-o-Pêso
Davi Bichara – Médico e ex-Pres. Sociedade Médico-Cirúrgica
Davina Bernadete Oliveira – Arquiteta e urbanista
Eduardo Paseto Lopes – Engenheiro
Elizabeth Almeida – Arquiteta
Emilio Moreira Kabá, Indígena Munduruku, fundador Assoc dos
Everardo Lopes – Movimento Sou da Paz
Francisco Afonso Lima de Vasconcelos (Chico Vaz) – ONG Arte pela Vida
Francisco Mesquita – Médico infectologista
Genival Carvalho – Educador Popular
Glória Rocha – Professora UEPA
Guilherme Carvaho – Educador Popular/FASE
Helena Correa – Professora UFPa
Ieié Porto – Diretora de teatro/Casa da Atriz
Ima Vieira – Pesquisadora do Museu Paraense Emílo Goeldi
Januário Guedes – Mestre em Comunicação/Documentarista
Joana Valente Santana – Profa da UFPa/FSS, doutora em Serviço Social
João Carlos Ribeiro Cruz – Prof. Doutor Geofísica/UFPA
João Gomes – Educador Popular/FASE
João Márcio – Prof. Doutor Geografia, Diretor do IFCH/UFPA
José Ackel Fares Filho – Arquiteto e urbanista, professor da Unama
José de Andrade Raiol – Arquiteto e urbanista, professor da FACI
Jurandir Santos de Novaes – Economista, doutorando Geografia Humana/USP
Kátia Ataíde – Militante do grupo Vegetarianos em Movimento pelos direitos animais.
Kátia Furtado – Presidente da AFBEPA
Laélia Brito – ONG Olhar Futuro para Amazônia
Luciene Medeiros – Professora Doutora em Educação/ ICED/UFPA
Lucilia da Silva Matos – Professora doutora/ ICED/UFPA
Manfredo Ximenes – Geólogo
Marcel Hazew – Educador Popular
Marco Moraes – Empresario e ex presidente da Tuna
Marga Rothe – Pastora luterana, militante de Direitos Humanos
Maria Elvira – Profa Doutora em Serviço Social – UFPa
Maria Goretti Tavares – Professora da UFPA, Doutora em Geografia Humana
Mário Sérgio Angelim – Movimento Popular
Marize Rolim Duarte – Professora doutora em Educação/UEPA
Markinho – Músico, vocalista
Maurício Bezerra – Médico, Cirurgião Vascular
Mirla Prado – Estilista e empresária
Nazareno Tourinho – poeta, dramaturgo, escritor/membro da APL
Olgaíses Maués – Prof. Doutora em Educação – UFPa
Orlando Vieira – Professor de Música/ UFPa
Oswaldo Coelho – Advogado/Ouvidor Geral da OAB-PA
Pedrinho Callado – Músico, cantor e compositor
Raimundo Nonato – Arquiteto e ex-presidente do Sindicato dos Arquitetos do Pará
Rodrigo Macedo Lopes – Arquiteto e Urbanista
Romero Ximenes Pontes – Professor e Mestre em Antropologia/UFPA
Rui Paiva – Advogado, professor e músico
Ruth Granhem Tavares – Professora Doutora Química/UFRA
Sandra Helena Ribeiro Cruz – Professora Mestre Serviço Social – ICSA/UFPA
Saint-Clair Cordeiro Trindade – Professor da UFPa/NAEA, Doutor em Geografia Humana
Sergio Bastos – Ilustrador
Stélio Santa Rosa – Arquiteto e Pres Conselho Regional de Arquitetura
Suzana Salgueiro – Médica
Vera Jacó Chaves – Professora Doutora em Educação/ ICED/UFPA
Walter Amoras – Médico Sanitarista

Anúncios

2 Respostas para “Manifesto | Teu povo te quer de volta, Belém!

    • EU ASSINO O MANIFESTO
      Antonio José Maués – Sindicalista, secretário de Organização do Sintprevs/Pa, Sindicato dos Trabalhadores em Previdência, Saúde, Trabalho e Assistência Social no Pará

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s