Igrejas e empresários: diabólica aliança

Sérgio Domingues [Pílulas Diárias]

“Parceria CNI-igrejas derruba votação para tributar fortunas” diz reportagem de Evandro Éboli publicada pelo Globo, em 09/05. A matéria refere-se a parceria entre a entidade que representa grandes empresários e parlamentares católicos e evangélicos. Seu objetivo? Impedir a aprovação de uma contribuição sobre grandes fortunas pelo Congresso Nacional.

A reportagem explica que a nova contribuição geraria recursos que seriam destinados exclusivamente para a saúde. O interesse dos religiosos seria evitar a chegada desses recursos para outro projeto, que tramita há anos no Congresso e que cria direitos previdenciários para dependentes de homossexuais.
Já a CNI pretende impedir a taxação das fortunas de seus associados, obviamente. Éboli explica que a proposta cria nove faixas de contribuição. A primeira atinge patrimônios acima de R$ 4 milhões e a última atinge os que ultrapassam R$ 115 milhões.
O que mais espanta é o minúsculo número dos que seriam atingidos: 38 mil pessoas. Ainda segundo a matéria, o novo tributo renderia “R$ 14 bilhões a mais para a saúde por ano”. Mas desse total, R$ 10 bilhões viriam de apenas 600 pessoas.
Opor-se à taxação de milionários em nome do bloqueio à cobertura previdenciária para homossexuais. Eis aí uma causa nada nobre a unir as cúpulas católica e evangélica ao grande capital. Difícil imaginar pacto mais carregado de pecados. Talvez, ajude a explicar a secular injustiça social que atinge um país que se orgulha de ter Deus como conterrâneo.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s