II ENCONTRO NACIONAL DO SAMBA

[Neno Freitas]

O samba paraense é secular. Existem registros de sua existência desde 1882. Pois, em 1900, Tó Teixeira já escrevia partituras de sambas locais.

Nosso samba é tão antigo que historiadores afirmam ser “PIMENTA NOS CUSCUS de ETTORE BOSIO (1914)  anterior a música “PELO TELEFONE”  de DONGA (1916), a qual ficou registrada como o primeiro samba produzido no Brasil. Injustiça? Talvez.

Acontece que durante muito tempo o samba tupiniquim sobreviveu em guetos. Mesmo tendo sido herdado pelos NEGROS ANGOLANOS que viveram por aqui no século XIX, os produtores culturais sempre viravam a cara pra este segmento. Parecia até que o samba local não pertencia as nossas raízes.

Só que a musicalidade negra foi tão marcante, que em pleno século XXI, os sambistas paraenses resolveram reagir e sair do ostracismo. De uma hora pra outra os grandes compositores da terra (NENO FREITAS, BOSCO, BILÃO, ADMIR, DIO, ALCYR GUIMARÃES E MEIO-DIA) começaram a buscar espaço nos grandes centros (Rio de janeiro e São Paulo), participando dos mais variados festivais. Resultado. Figuraram sempre entre os finalistas.

Isso despertou a curiosidade dos empresários da noite local. O samba passou a fazer parte da programação semanal das casas noturnas. Compositores locais foram gravados por compositores dos grandes centros (ROYCE DO CAVACO gravou NENO FREITAS) e houve a necessidade imediata de se fazer um maior intercâmbio entre terras tão distantes. Belém do Pará se transformou numa passagem obrigatória das grandes estrelas.

Passaram por aqui: MONARCO DA PORTELA. ZECA PAGODINHO, REINALDO, MÁRIO SÉRGIO, DUDU NOBRE, NILZE CARVALHO, NELSON RUFINO, TONINHO GERAIS, MARQUINHO PQD, NEGUINHO DA BEIJA-FLOR, DOMINGUINHOS DO ESTÁCIO, DIOGO NOGUEIRA, BETH CARVALHO, FUNDO DE QUINTAL, ALCIONE, ROYCE DO CAVACO, MAURO DINIZ, JULIANA DINIZ, ARLINDO CRUZ, SOMBRINHA, SOMBRA, ETC…

Acontece que esses astros só passavam como as grandes estrelas. Os grandes nomes locais não dividiam o palco com eles, ou seja, não havia o intercâmbio entre os artistas. Mas, isso teve um fim no dia 06 de novembro de 2011, com o início do I ENCONTRO NACIONAL DO SAMBA na quadra da escola de samba QUEM SÃO ELES.  Vieram para o evento o paulista ROYCE DO CAVACO e o paraense residente no Rio de janeiro LÊ SANTANA, que junto com os cantores locais fizeram um grande show. A partir daí este intercâmbio passou a existir de fato.

Agora este respeitável evento de inclusão musical volta a se repetir, desta vez na CASA DE SHOW MESA REDONDA, no próximo dia 15 de setembro (sábado), com início previsto para às 18 horas. Só que agora com um número maior de convidados. Chegarão do Rio de janeiro: SOMBRA, GABRIELZINHO DE IRAJÁ e a paraense radicada no Rio, ANINHA PORTAL; e virá de São Paulo: BETTO MATTOS, nada mais nada menos que o nosso ISALDO, cantor consagrado em nossa terra que reside em SAMPA. O time de paraenses vem com as estrelas mais reluzentes do samba (JOÃO LOPES, BILÃO DA CANÇÃO, JR BAMBO, MARQUINHO MELODIA, ALCYR GUIMARÃES, PEDRINHO CAVALLERO, FERNANDO JACARÉ, LARISSA LEITE, YASMHIN FRIAÇA, ARTHUR ESPINDOLA, KIKO MARAVILHA, TRAMA DO SAMBA, GRUPO TEM RAIZ, MAURINHO 7 CORDAS, JESUS LOPES, DIEGO XAVIER E JUNINHO NOSSO TOM).

Realmente imperdível. Vale a pena conferir.

SERVIÇO:

Show: ENCONTRO NACIONAL DO SAMBA

Local: CASA DE SHOW MESA REDONDA (Av. João Paulo II entre Chaco e Humaitá).

Ingressos antecipados: R$ 10,00 (DEZ REAIS).

 Direção Geral: Neno Freitas

Neno Freitas é compositor e presidente da Associação dos Sambistas do Pará (ASSAMPA).

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s